Jandira tem noite de curtas metragens nacionais promovida pelo CineB Solar

Fotos, texto e depoimentos: Thaís Nozue

A sexta-feira (22) não foi comum para os moradores da Vila Dolores Paschoalin, em Jandira, município da microrregião de Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo. Cerca de 110 pessoas prestigiaram a sessão na Comunidade Cáritas São Francisco de Assis – Tata Loreta. Seis curtas nacionais foram apresentados para os moradores da região.

Comunidade Cáritas São Francisco de Assis – Tata Loreta

Comunidade Cáritas São Francisco de Assis – Tata Loreta

A Associação Caritas São Francisco trabalha desde o ano 1983 na cidade de Jandira. A Associação atende crianças de dois até cinco anos no período integral educação infantil e crianças de seis até 17 anos no período extraescolar SCFV.  Além disso, a Associação desenvolve outros projetos na área da assistência de jovens e adultos, através dos cursos profissionalizantes. A Caritas tem por valores fundantes o amor e a solidariedade, seguindo o exemplo de São Francisco. Atualmente atende mais de mil crianças e adolescentes 40 mulheres em oficina de costura e 146 famílias no programa Viva Leite.

A coordenadora pedagógica Ana Paula Lima, conta um pouco sobre os serviços que a Comunidade Cáritas São Francisco de Assis presta para a população.

“Esse projeto existe há mais de 30 anos, ele é localizado aqui no Gabriela, que é o Tatá Loreta, temos também no Comuna e também no Santa Ana. O projeto atende crianças de seis a 14 anos, trabalhando com oficinas pedagógicas, oficinas de reforço escolar, literatura, música, capoeira, informática, reciclagem, educação ambiental, projeto de horta, tudo em prol das crianças. Isso tudo ajuda as crianças a ficarem um pouco menos nas ruas e a terem um conhecimento melhor. Estou no projeto há 22 anos, amo e sou muito feliz aqui. ”

Ana Paula já era conhecedora do CineB Solar e ficou muito feliz com o retorno do projeto para a Jandira. Leia aqui.

“É um prazer receber aqui o Cine pela segunda vez. Hoje está sendo feito ao ar livre e aguardo vocês, pela terceira vez, num outro espaço nosso, que possivelmente irá acolher mais crianças. Os curtas metragens estão sendo maravilhosos, eu também amei muito esses filmes. Agraço vocês do fundo do coração.”

Ana Paula Lima

Curtas metragens nacionais

Os seis curtas infantis apresentado na noite foram “As aventuras de Pety”, “De onde vem os dragões”, “O menino leão e a menina coruja”, “O gigante”, “Os segredos do Rio Grande” e “Plantae”.

“As aventuras de Pety” é um filme que tem início quando, no céu de Tutameia, surge um lindo e majestoso arco-íris. Em busca do baú de ouro, Pety e seus amigos partem em direção ao bosque da cidade, onde vivem aventuras com seres fantásticos do folclore brasileiro e descobrem que o verdadeiro tesouro pode estar muito mais próximo do que imaginam.

“De onde vem os dragões” relata sobre a maternidade e os seus desafios diários. Uma divertida analogia que faz as mães concordarem e as famílias caírem na risada.

“O menino leão e a menina coruja” fala sobre o universo das pessoas-animais, seres que misturam características humanas com as de outro animal. Quando filhotes, eles precisam estudar na Escola Filhote Selvagem, um lugar onde o aprendizado vai muito além da sala de aula.

“O gigante” transporta no coração uma menina. O seu coração é uma janela imensa através da qual a menina descobre e decifra toda a realidade. De coisas assim é feito o “Crescer”. A partir de trajetos legados pelos pais, os filhos traçam as suas próprias rotas, com erros de interpretação, com desvios de perspectiva, mas que são seus e é com eles que têm de viajar. E um dia partem, levando a sacola, construindo o seu mundo sobre os mapas que um dia desenharam. Levando no olhar o Sonho e principalmente Esperança.

“Os segredos do Rio Grande” é um curta que mostra que a preservação do meio ambiente começa com pequenas atitudes e conta a história de personagens ligados ao rio que precisam cuidar e preservar este habitat e garantir sua sobrevivência.

E “Plantae”, que encerrou a sessão, fala sobre a Amazônia e a reação de um madeireiro após derrubar uma grande árvore.

Criança, pipoca, filmes e diversão

As crianças eram maioria na sessão.  A pipoca foi uma das estrelas da noite, assim como o divertido quiz promovido nos intervalos dos filmes, pelo coordenador do CineB Solar Cidálio Vieira.  Brindes como pipocas doces, bonés da CUT e camisetas do projeto foram divertidamente distribuídos aos que acertavam as perguntas.

A sessão contou com a presença de do Reginaldo Camilo dos Santos ( Zezinho – membro da executiva do PT Jandira) , Carlos Roberto Alves ( Carlinhos – funcionário do Sindicato dos Comerciários de Osasco e Região) , José Pereira ( Pereira – morador do bairro), Adaílson José da Silva ( prof. Dinho – educador  ), Leonel Barros ( presidente do PT de Jandira)  e Marcos Roberto Mariano (Cuca – militante sindical do Sindicato dos Vigilantes de Barueri).

Foto da abertura da sessão

Adaílson José da Silva, mais conhecido como professor Dinho conta como a mobilização para que o CineB Solar chegasse em Jandira.

“É muito bom ter o CineB aqui na comunidade, onde as pessoas não têm acesso, conhecer um pouco dos filmes brasileiros, isso é muito bacana. A comunidade aceitou bem o projeto, está bem falado, tanto que está cheio. A divulgação foi feita através dos panfletos, cartazes, fomos de casa em casa, chamando e convidando os moradores.”

`Professor Dinho

Carlos Roberto Alves, o Carlinhos, é morador da comunidade há mais de 40 anos e integrante da CUT, fala sobre a importância do projeto para o local.

“A mobilidade foi feita com a comunidade e com os companheiros Marquinhos, Dinho, Pereira. É uma novidade pra comunidade, porque muitas crianças nunca frequentaram uma sala de cinema. Então, o projeto é muito bom e eu acho que precisa mostrar pra sociedade a importância do sindicato, não só pra defender o trabalhador, mas também levar cultura pra comunidade.”

Carlinhos

A participação da comunidade também foi importante, pois a ideia era que os moradores do bairro pudessem também prestigiar o momento. Daniela Duca de Brito compareceu com a filha pequena e curtiu do começo ao fim.

“Eu moro em Jandira tem 38 anos e eu achei o CineB maravilhoso, porque a gente não tem condições de levar as crianças do cinema e por isso mesmo eu achei tudo de bom.”

Daniela e a filha na sessão

Patrícia Ferreira da Silva Nascimento, importante figura do comércio da Jandira, fala sobre a sessão e o projeto CineB Solar.

“Trabalho há 22 anos no comércio de Jandira, fui convidada para prestigiar o evento aqui. Não conhecia e fiquei muito feliz de ver as crianças e os pais engajados.”

Patrícia Ferreira da Silva Nascimento

CineB Solar

CineB Solar é um circuito itinerante de cinema realizado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e pela Brazucah Produções.  As sessões são exibidas utilizando-se de energia solar captada através de um veículo equipado com placas solares, baterias e conversor. O equipamento transforma a energia do sol em energia elétrica para alimentar o sistema de projeção e o som dos filmes. Neste ano de 2022 estamos completando 15 anos de projeto. Desde 2007, o projeto já atingiu um público de 82.937 pessoas e 637 sessões gratuitas realizadas em comunidades e universidades de São Paulo. Percorremos cerca de 160 bairros da cidade de São Paulo e 22 cidades fora de São Paulo. 80 sessões somente na cidade Osasco e região, atendendo 11.401 pessoas naquele local.

Veja abaixo a galeria de fotos:

One comment

  1. Parabéns pelo atividade, obrigado equipe do cine solar por levar cultura para a comunidade.👍👍👍

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.