CineB Solar leva “Marighella” para escola em Embu das Artes no aniversário do Golpe de 1964

Professores prepararam os alunos de nove turmas do segundo e terceiro ano do ensino médio antes da exibição para compreenderem o contexto da ditadura e seus reflexos e perigos até os dias de hoje

Texto e fotos: Vinicius Souza e Maria Eugênia Sá (www.mediaquatro.com)

Cerca de 250 alunos assistiram ao filme dirigido por Wagner Moura

No último dia 31 de março, o Ministério da Defesa do Brasil soltou mais uma nota mentirosa dizendo que o Golpe Militar de 1964, que eles chamam de “movimento” ou “revolução”, fortaleceu a democracia no país. Nada menos verdadeiro! Nem mesmo o dia escolhido pelo governo atual para se “comemorar” o Golpe é verdade, já que a quartelada se realizou, de fato, em 1º de Abril, dia da mentira. Por isso, também, é tão importante ensinar os fatos nas escolas e estimular os alunos e alunas a refletirem sobre as consequências desses fatos em nosso cotidiano atual.

Na telona, em dia de aniversário do Golpe de 1964, a luta contra a ditadura com Seu Jorge vivendo o guerrilheiro Marighella

Nesse sentido, é fundamental apresentar a estudantes de ensino médio, a maioria já em condições de tirar o título de eleitor e votar em 2 de outubro, obras audiovisuais que mostrem a realidade do que foi a ditadura militar no Brasil. E é aí que entra “Marighella”, o aclamado longa metragem de estreia como diretor de Wagner Moura, com Seu Jorge no papel do líder esquerdista Carlos Marighella, que depois de ser preso e torturado formou a ALN (Ação Libertadora Nacional) com os companheiros Virgílio Gomes da Silva, vivido na tela por Jorge Paz, e Joaquim Câmara Ferreira, interpretado por Luiz Carlos Vasconcelos, todos ex-filiados ao PCB (Partido Comunista Brasileiro).

Equipe da Escola Estadual Tadakio Sakai se empolga com a van com as placas solares usadas para gerar a energia do CineB Solar

Foi nesse clima que toda a Escola Estadual Tadakio Sakai, em Embu das Artes se mobilizou para a sessão especial de “Marighella” que teve cerca de 250 espectadores. O professor de matemática e vice diretor, Ricardo Silva Santana, por exemplo, junto com outros professores, ajudou na produção recebendo a nossa equipe e organizando um grupo de funcionários e professores para limpar todo pátio.

“A professora Iracema nos apresentou a proposta de trazer o filme para a escola, a gestão aceitou porque seria bastante pedagógico para os alunos”, conta Daniela Aline Pereira Souza, diretora da escola. “Depois de assistirmos, no decorrer das semanas, os professores de história, geografia, língua portuguesa, vão fazer alguns projetos trabalhando o filme de forma interdisciplinar com os alunos”.

Para a diretora da escola, Daniela Souza, o filme é uma ótima atividade pedagógica

Iracema Valquíria Guerra, professora de história há 26 anos na escola, ficou sabendo do Projeto CineB Solar através da amizade que tem com Amauri da Silva, diretor do Sindicato dos Bancários, entidade criadora do projeto há 15 anos e até hoje parceira.

“A proposta do Wagner Moura é trabalhar a história do Marighella, mas com a Ditadura de pano de fundo, que foi um momento de repressão, de retirada de direitos. É importante trabalhar isso com os alunos na perspectiva de que a memória não se apague para que esse tipo de coisa não se repita no nosso país”, explica a professora. “Quando a gente traz o cinema para dentro da escola, numa região periférica como a que a gente vive, onde nem todos os alunos têm acesso ao lazer, é uma oportunidade de trazer também essa discussão tão importante para o que estamos vivendo hoje. Não é por acaso que escolhemos esse filme para a data de hoje, de aniversário do Golpe de 1964”.

A professora de história, Iracema Guerra, sabe a importância de preservação da memória para que não haja mais ditadura

Bruno Camargo, estudante do segundo ano do secundário, concorda com a professora. “Eu achei o filme importante porque ele mostra uma realidade que nossa geração não viveu e que pode retornar se não tomarmos os devidos cuidados, elegendo as pessoas certas e estudando a história. Basta ver que recentemente teve ações do governo junto à Ancine para censurar esse filme e só soubemos disso porque a professora nos contou. É importante assistir de mente aberta e coração aberto pra ter a melhor experiência”.

Bruno Camargo só soube da censura que impediu por dois anos a estreia de Marighella no Brasil pela professora de história
Plateia buscando os últimos assentos disponíveis para o início da sessão

O filme realmente mexeu com quem assistiu. O diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Amauri da Silva, que sugeriu o evento à professora Iracema, estava empolgado. “Nem parece que já faz 15 anos de CineB. A gente sempre sente como se fosse a primeira vez”, disse após a exibição. “Levar cultura às escolas devia ser programa de governo, mas como não é, o Sindicato faz isso e devemos parabenizar a presidenta do Sindicato, Ivone Silva e o diretor Luiz Cláudio Marcolino, que iniciou esse projeto quando era presidente”. Além de Marcolino, outra liderança local a prestigiar a apresentação foi a ex-vereadora pelo Partido dos Trabalhadores Rosangela Silva Dos Santos.

Da esquerda para a direita, o morador de Embu e diretor do Sindicato dos Bancários Amauri da Silva, a diretora da escola Daniela Souza, o ex-presidente do Sindicato Luiz Cláudio Marcolino, o coordenador do CineB Solar Cidálio Vieira e a professora de história Iracema Guerra

Amauri, que é morador de Embu das Artes há mais de 50 anos, reforça a importância do diálogo sobre a obra com os estudantes.

“Depois do filme fiz questão de conversar com alguns alunos pra saber se eles tinham conseguido fazer um paralelo de 1964 com os dias de hoje. Se eles prestaram atenção no filme vão perceber que ainda vivemos numa ditadura branca, Quando eu sou parado no trânsito porque eu sou negro e estou num carro que eu teoricamente não poderia ter, isso é uma ditadura. Quando alguém me manda calar a boca porque eu estou defendendo as minhas ideias, isso é uma ditadura. Quando uma mulher é agredida a cada poucos segundos, isso é uma ditadura. E, infelizmente, ainda há quem defenda a ditadura”.

Sobre o CineB Solar

Criado em 2007 pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região, o CineB passou a se chamar CineB Solar em 2018, quando passou a circular com uma van que gera, através de placas solares, a própria energia consumida no evento. Já atingiu um público superior a 90 mil espectadores, 160 bairros percorridos, em mais de 622 sessões gratuitas realizadas em comunidades e universidades de São Paulo. Nesse momento de isolamento, para evitar aglomerações, se reinventaram e prepararam novos projetos: CineB on-line, CineB Solar na Janela e CineB Autorama, ações para que todos possam ficar em casa e se divertir com uma sessão de cinema.

Confira a agenda das próximas exibições


FILME:
 Turma da Mônica – Lições

CINEMA BRASILEIRO NO PQ NOVO GRAJAÚ

DIA: 8  DE ABRIL – SEXTA-FEIRA –  19HS

LOCAL : Núcleo Venha Conosco           

ENDEREÇO: Rua Cornélio Dopper 1.100A

RETIRADA DE CONVITES:  Na Secretaria, falar com  Vanessa

 FILME: Turma da Mônica – Lições

CINEMA BRASILEIRO NO PQ PLANALTO

DIA: 9  DE ABRIL – SÁBADO-  19HS

LOCAL: Paróquia Jesus Maria e José

ENDEREÇO: Professora Herminia Cavezzali Sampaio, 09 Pq. Planalto

RETIRADA DE CONVITES: Na Secretaria da igreja 

 FILME: Turma da Mônica – Lições

CINEMA BRASILEIRO EM PARELHEIROS

DIA: 16 DE ABRIL – SÁBADO – 19HS

LOCAL: Quadra Comunitária 

ENDEREÇO: Rua Domênico Lanzetti, 07-  Jd. São Norberto

RETIRADA DE CONVITES:  No local, falar com Júnior ou Ezequiel

FILME: PUREZA (pré-estreia!)

CINEMA BRASILEIRO EM PERUS

DIA: 18 DE ABRIL  – segunda-feira – 19HS 

LOCAL: Cieja Perus

ENDEREÇO: Rua Francisco José de Barros, 160 – Vila Inácio, São Paulo

RETIRADA DE CONVITES: Na Secretaria do Cieja

FILME: PUREZA (pré-estreia!)

CINEMA BRASILEIRO NA PAULISTA

DIA: 19 DE ABRIL  – TERÇA-FEIRA – 19HS 

LOCAL: Espaço Lélia Abramo – Regional Paulista do Sindicato dos Bancários de São Paulo                                                                     

ENDEREÇO: Rua Carlos Sampaio, 305                     

RETIRADA DE CONVITES: Pelo email: producaocineb@brazucah.com.br

FILME: PIXINGUINHA

CINEMA BRASILEIRO NO JARDIM CELESTE 

DIA: 22 DE ABRIL – SEXTA-FEIRA 19 HS

LOCAL: ASSOCIAÇÃO DOS MOVIMENTOS DE MORADIA DA REGIÃO SUDESTE

ENDEREÇO: Rua Maramores, 36 – Jd. São Savério

RETIRADA DE CONVITES:  Falar com  Graça  Xavier  ou Fátima  dos Santos

2 comments

  1. Parabenizo a todos que neste dia compareceram a Escola Tadakiyo Sakai. Desde a galera do CineB, os diretores do Sindicato, a Direção da Escola, meus colegas de trabalho (professores, coordenação, cozinheira, faxineira) e nossos alunos. Tivemos uma noite ímpar na reflexão de um período da História do nosso país. Viva todos nós!

  2. O prazer foi nosso! Tomara possamos voltar em breve novas sessões.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.